M

quinta-feira, junho 19, 2014

AS NÚPCIAS





Sem sombra de dúvidas queridos irmãos o livro de Cantares de Salomão é um livro poético que trata do relacionamento intimo e amoroso do seu autor e sua amada esposa. Ao analisarmos seus capítulos compreendemos a importância de como devemos tratar os nossos cônjuges. Todavia, entendemos que tal livro ao fazer parte da maravilhosa palavra de Deus, ou seja, se Deus permitiu que ele estivesse entre os demais livros que compõe a bíblia sagrada, não seja apenas no propósito de nos exemplificar da importância de termos uma vida íntima e intensa com o nosso cônjuge, embora isso também seja de suma importância. Todavia, creio que o maior propósito de Deus através deste livro seja o de exemplificar  de  forma ilustrativa o relacionamento entre Cristo (o esposo ) e a igreja ( a esposa ). 
Sendo assim tomaremos por base o capítulo 5 e os versos de 1 a 5 de Cantares de Salomão:


"1  JÁ entrei no meu jardim, minha irmã, minha esposa; colhi a minha mirra com a minha especiaria, comi o meu favo com o meu mel, bebi o meu vinho com o meu leite; comei, amigos, bebei abundantemente, ó amados.
2  Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo: abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite.
3  Já despi a minha roupa; como as tornarei a vestir? Já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?
4  O meu amado pôs a sua mão pela fresta da porta, e as minhas entranhas estremeceram por amor dele.
5  Eu me levantei para abrir ao meu amado, e as minhas mãos gotejavam mirra, e os meus dedos mirra com doce aroma, sobre as aldravas da fechadura".


No primeiro versículo diz: “ Já entrei no meu jardim, minha irmã, minha esposa; colhi a minha mirra com a minha especiaria, comi o meu favo com o meu mel, bebi o meu vinho com o meu leite; comei, amigos, bebei abundantemente, ó amados”.
A primeira parte do versículo nos deixa claro que o esposo tinha um lugar (um jardim) de onde ele extraia  os suprimentos necessários para satisfazer as necessidade da sua esposa. Assim como cristo que entrou no jardim do jetsêmani  e ali iniciou-se o seu sacrifício em favor da sua esposa. Já na segunda parte, diz que na sua boca havia mel e vinho. Jesus também tem em sua boca palavras doces e curativas , ou seja, palavras de vida para sua amada.

No segundo versículo diz: “Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo: abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite”.
Isto fala da esposa (a igreja) que embora entendemos na primeira frase que ela dormia, ou seja, estava em seu momento de inercia, de repouso, todavia, ela estava atenda a o chamado do esposo. Semelhantemente nós a igreja, devemos estar atentos a voz do esposo (Jesus).
Na segunda parte deste versículo o esposo a trata de forma intima e carinhosa “abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha”, e é justamente desta forma que Cristo que se relaciona com a Igreja, com intimidade; carinho e amor, pois Ele é seu esposo. Ele encerra este versículo mostrando que pagou um preso para isso, Ele  já havia passado a noite inteira no relento da noite no intuito de encontrar a esposa, a sua cabeça estava molhada de orvalho a tal  ponto que gotejava. Jesus cotejou sangue em sua noite sacrificial pela igreja.

No versículo terceiro, observamos o noivo desnudo e limpo, isto é, totalmente preparado para o ato conjugal com sua esposa. Semelhantemente Cristo, já despiu a sua roupa, abriu mão da sua glória e assumiu a forma humana. E não somente isso , pois após tomar sobre si  os nosso pecados lá na cruz, após se fazer pecador em nosso lugar, Ele lavou não só os seus pés como todo o seu corpo com o seu sangue  purificador e isto uma só fez por todas não se fazendo mais necessário nenhum sacrifício a nosso favor. Pois uma vez limpo, estava pronto para o encontro com a esposa (a igreja).

Neste versículo, vemos o exato momento em que o esposo se apresenta à sua amada. a sua mão mostra que ele já chegou e está pronto para ela. Semelhante mente, Cristo está pronto para sua amada, Ele está a porta, em sua mãos (feridas) está a prova que tudo foi preparado. A esposa (a igreja) sente em seu íntimo que é chegado o momento das núpcias.


No último versículo vemos que prontamente ela se levanta tendo em suas mãos aromas agradáveis a seu esposo, e sem demora abre a porta para receber o seu amado. De forma semelhante, Cristo (o esposo) espera que a noiva (a igreja) esteja pronta, perfumada de forma que lhe seja agradável e sem demora suba, ou seja, vá ao seu encontro para desfrutar de tudo aquilo que lhe é dado pelo seu esposo.

Portanto amados irmão, devemos  nos empenharmos para que isto seja uma realidade em nossas vidas, tanto no sentido humano com os nossos cônjuges, como e principalmente no sentido espiritual, ou seja, como igreja devemos estarmos pronto pois o esposo está chegando.

Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro”.
Mateus-25;6